Notícias


11/06/2013 - Maior rede do mundo vai abrir 30 hotéis econômicos no Brasil até 2014

A incorporadora Inncorp pretende lançar 200 hotéis econômicos no Brasil em dez anos com valor de vendas de R$ 4,2 bilhões, apostando no apetite por serviços de grandes redes hoteleiras em cidades carentes dessa oferta. A empresa vai desenvolver no mercado brasileiro a marca Super 8, que pertence ao grupo americano Wyndham Hotel, tendo como concorrente mais próxima a bandeira Ibis, da francesa Accor. Até o fim de 2014, serão 30 unidades da linha econômica no País.

Até 2022, o grupo quer abrir apenas em São Paulo 30 unidades do Super 8 sendo 18 erguidos na via Dutra, entre Guarulhos (SP) e a divisa com o Estado do Rio de Janeiro. Está prevista também a construção de 20 hotéis da mesma marca no Rio Grande do Sul. O primeiro hotel começa a ser construído hoje, em Caxias do Sul e duas unidades estão confirmadas para Canoas e Rio Grande. No Brasil, o primeiro hotel Super 8 será inaugurado em outubro em Lagoa Santa, em Minas Gerais, na região metropolitana de Belo Horizonte. Também há unidades previstas para Betim, Congonhas, Sete Lagoas e Pouso Alegre.

"A tendência é que as famílias façam mais viagens de carro com a melhoria das estradas. Entre cinco a dez anos, queremos estar na rota dos viajantes que programam a parada para dormir no caminho", disse o presidente da Inncorp, Dan Fonseca.

Nesta terça-feira, a Inncorp anuncia a construção de 20 hotéis no Rio Grande do Sul em parceria com a incorporadora gaúcha Fisa. O primeiro deles será em Caxias do Sul. Unidades nos municípios de Rio Grande e Canoas virão em seguida. Para otimizar os gastos, a Inncorp irá replicar o mesmo projeto arquitetônico em todas as unidades: prédio de quatro andares com 100 quartos de 16 metros quadrados cada, equipados com banheiro, ar-condicionado, frigobar e TV.

A construção também seguirá um padrão. A incorporadora mira terrenos de 4.500 metros quadrados à beira da estrada de cidades de médio porte, com intensa atividade comercial, turística ou industrial. O diretor de desenvolvimento da Wyndham Hotel para América Latina e Caribe, Louis Alicea, dissociou a aposta no Brasil aos grandes eventos esportivos que o país vai sediar nos próximos anos. Ele acredita no retorno dos projetos apesar do fraco crescimento da economia brasileira neste momento.

"Quem constrói só para Copa e Olimpíadas vai fracassar, porque esses são eventos de duas semanas. Temos fé na demanda das famílias médias, que buscam um quarto limpo e com comodidades fora das áreas metropolitanas", afirmou Alicea.

Embora não partipe do financiamento dos projetos, o grupo Wyndham é responsável por fornecer treinamento e suporte para os hotéis Super 8. O desenvolvimento ficará a cargo da Inncorp, que buscará expandir a rede por meio de parcerias com incorporadoras locais e recursos de fundos imobiliários.

No Estado de São Paulo, a Inncorp atuará com a construtora Ladeira Miranda para 18 hotéis ao longo da rodovia Dutra. Uma parceria com uma incorporadora do Paraná está em fase final de negociações. Ao mesmo tempo, a Inncorp trabalha com duas instituições financeiras para lançar fundos de investimento imobiliário no segundo semestre. O dinheiro será investido na construção de mais 30 hotéis no Estado de São Paulo.

O presidente da Inncorp prevê um retorno que iguale o investimento feito com uma taxa de ocupação de 45%. Segundo Fonseca, análises de viabilidade dos empreendimentos encomendadas pela empresa apontam ocupação de 65% a 70% no primeiro ano de operação dos hotéis nas cidades escolhidas.



< RETORNAR


 
Desenvolvido por InWeb Internet